Our Blog

Blog
 

Análise – Rhythm Thief (3DS)

14 September on Análises, Blog  

Para variar um pouco, achei legal postar uma análise de um joguinho que me surpreendeu aqui no blog. Eu queria falar de Rhythm Thief, um jogo de 3DS que me pegou totalmente de surpresa.

Quando a Nintendo anunciou o DS, o presidente Satoru Iwata disse que o nome não era apenas referência às duas telas, mas também "Developer System", no sentido em que um plataforma de baixo custo de desenvolvimento e com novas formas criativas de interação era um sonho para criadores de jogos. Ele estava certo: o Nintendo DS se provou uma placa de petri para experimentação, resultando em várias experiências diferentes e divertidas - eu ressalto especialmente Professor Layton e Elite Beat Agents, um jogo de puzzle e outro de música extremamente divertidos e únicos.

A Sega pegou esses dois jogos e botou no liquidificador (emprestando também um pouco de Doctor Lautrec, um clone de Layton da Konami, que adicionou uma trama baseada em fatos históricos) e a mistura deu samba. Rhythm Thief & the Emperor’s Treasure conta a história de um rapaz com uma identidade secreta de ladrão que investiga o desaparecimento do pai e acaba tropeçando no mistério do sumiço do caixão de Napoleão Bonaparte. A premissa é amarrada em uma narrativa que parece bastante orgulhosa de sua pesquisa histórica como no jogo da Konami, emprestando a mecânica de Layton. Mas quando a ação começa, tudo funciona na base de mini-games musicais.

Rhythm Thief funciona por causa da variedade de seus mini-games. O game equilibra sua trama com curtas intervenções de mini-games que brincam com os diferentes controles do 3DS (tela de toque, botões e sensores de movimento). Alguns mini-games são mais divertidos, outros mais frustrantes... mas como você vai encarando eles em doses homeopáticas enquanto vai desenrolando os segredos de uma reprodução simpática e estilizada de Paris, o game consegue manter um ritmo interessante sem abusar da paciência do jogador.

O resultado é um título que oferece uma capa boa para envolver múltiplos mini-games musicais, sem cair na repetição de jogos dedicados de música. Quem curte mistérios baseados em fatos históricos também vai aprender mais sobre a capital francesa, mesmo que a pesquisa seja simples e superficial. O mash-up conseguiu escapar do risco de ser demasiadamente derivativo, graças a um charme simples. Rhythm Thief é um daqueles jogos perfeitos para você apresentar o 3DS para sua namorada ou parente que tem receio de games.

Desenvolvedor: Sega/Xeen
Distribuidor: Sega
Plataforma: Nintendo 3DS, iOS (final de 2012)
Jogadores: 1-2

Esta postagem também está disponível em: Inglês

Author, freelance videogame journalist, cinematography major and a little insane.